Biografia

Rodrigo Fregnan

Foto de Thaís Rigolon

Estreou no teatro amador em 1984, aos oito anos, protagonizando a peça infantil “A Constituinte”, feita na escola.

Em 1993, no último ano do Ensino Médio, entrou no Grupo de Teatro Experimental Vila dos Mistérios, da USP de São Carlos, estreando com eles a peça “Senhora dos Afogados” naquele ano.

No ano seguinte, 1994, mudou-se para Londrina/PR, onde frequentou por quatro anos a faculdade de Psicologia na UEL – Universidade Estadual de Londrina. 

Sem se afastar do teatro, em 1997 formou-se como ator na primeira turma da EMTEscola Municipal de Teatro de Londrina – com o espetáculo Alice Através do Espelho, escrito por Maurício Arruda Mendonça e dirigido por Paulo de Moraes. 

Em 1999, escreveu e dirigiu sua primeira peça, quando tinha 23 anos, na qual também atuou, chamada Conflitos & Compheitos – Comédia Romântica Cretina em Três Atos, com a ONOMATOPEIA CIA. DE TEATRO, fundada e dirigida por ele. 

Em 2000, ele dirigiu Drummond, peça composta pelos poemas de Carlos Drummond de Andrade, na qual ele também atuou. Em 2001, ele dirigiu, escreveu e atuou em “Literatura em Cena”Em 2002, ele dirigiu a peça IansãXangô, na qual também atuou. Todas essas peças foram feitas pela ONOMATOPEIA CIA. DE TEATRO. A companhia acabou em 2002. 

Trabalhou durante quatro anos com Antunes Filho, no CPT – Centro de Pesquisa Teatral, e desse diretor atuou em O Canto de Gregório (2004-2005) e protagonizou a peça Antígona (2005), no papel do Rei Creonte. 

Depois disso, foi trabalhar com o diretor Gabriel Villela e atuou nas seguintes peças: Leonce e Lena (2006), Salmo 91 (adaptação teatral do livro “Estação Carandiru”, de Dráuzio Varella – 2007-2008), Calígula (2008-2009) e Vestido de Noiva (2009). 

Rodrigo Fregnan - Salmo 91

Rodrigo Fregnan. Foto de Guto Muniz.

No passado recente, outra peça que merece destaque em que ele atuou chama-se Babel (escrita pela italiana Letizia Russo e dirigida pelo também italiano Alvise Camozzi – 2010), assim como a ópera Amazônia (2010), da companhia alemã ZKM (Center for Art and Media Karlsruh)

Nos últimos anos, fez parte da companhia teatral CÍRCULO DOS CANASTRÕES, de junho de 2011, quando a mesma foi fundada, até julho de 2013, atuando nos espetáculos Boca de Ouro”, “A Falecida, O Beijo no Asfalto e Valsa N°6; todos de Nelson Rodrigues e todos dirigidos por Marco Antônio Braz. 

Atuou em alguns longa-metragens, entre eles: El Mate” (2017), dirigido por Bruno Kott; O Gorila (2012), dirigido por José Eduardo Belmonte; Os Amigos (2013), dirigido por Lina Chamie; Confia em Mim (2014), dirigido por Michel Tikhomiroff e Riocorrente (2013), dirigido por Paulo Sacramento. Atuou também em algumas séries para a TV, entre elas: Magnífica 70, HBO (2015-2016), dirigida por Cláudio Torres e Carolina Jabor;PSI, HBO (2014), dirigida por Marcus Baldini; O Negócio, HBO (2013), dirigida por Michel Tikhomiroff; 9mm: São Paulo, FOX (2011), dirigida por Michel Ruman e O Amor em 4 atos, GLOBO (2011), dirigida por Bruno Barreto. Fez vários curtas e alguns filmes publicitários ao longo da carreira. 

Em 2013, finalizou sua décima terceira peça como dramaturgo (CICLÍPTICO), sendo que nove delas já foram encenadas, por ele ou por outros diretores. Também em 2013, assinou a Coordenação Dramatúrgica, Texto Final, Direção, Iluminação e Trilha Sonora do espetáculo O Céu Azul Ninguém Me Tira, com a CIA. PAULISTA DE ARTES. Esse espetáculo continua sendo apresentado por todo o Brasil até o presente momento. Em 2014, ingressou na SP Escola de Teatro como Artista Residente no primeiro semestre e Formador no Curso de Dramaturgia no segundo semestre. 

Em 2016, protagonizou a peçaO Teste de Turing de Paulo Santoro, com direção de Eric Lenate e continuou defendendo o papel de seu personagem Orestes na segunda temporada da série Magnífica 70 (HBO), produzida pela Conspiração Filmes.

Integrou o elenco da peça O Capote (2015-2017), adaptação de Drauzio Varella do conto homônimo de Gógol, com direção de Yara de Novaes e dramaturgia de Cássio Pires, que foi assistida por um público de, aproximadamente, 20.000 pessoas.

Em 2017 e 2018, fez parte do elenco principal do espetáculo 2 Filhos de Francisco – O Musical, no papel do protagonista Francisco. A temporada foi realizada no Teatro Cetip, em São Paulo.

Marco Souzza, Renatinho e Rodrigo Fregnan. Foto de Marcos Mesquita.

Anúncios